Imigração para a Austrália está satisfatória, segundo relatório do governo

Com cerca de 30% da população composta por imigrantes, a Austrália confirma a diversidade cultural como fonte significativa de riqueza nacional. Em relatório divulgado recentemente pelo Tesouro e pelo Department of Home Affairs, o governo australiano reforçou a importância de sua política imigratória como vetor de desenvolvimento humano e crescimento econômico.

Os estudos indicam que a Austrália segue um movimento contrário ao fechamento de fronteiras em outros países, como os Estados Unidos.

O documento foi denominado “Shaping a Nation” (Moldando uma Nação). De forma geral, o conteúdo valoriza a participação dos imigrantes nas características populacionais da Austrália e no vigor econômico nacional. Grupos imigrantes específicos são mencionados como responsáveis por definir determinadas vocações produtivas e culturais em partes significativas do país.

O lançamento do relatório contribuiu principalmente para dissipar anseios de que a Austrália tenderia a frear o incentivo à imigração. Ao contrário disso, o relatório reafirmou o papel dos imigrantes na prosperidade econômica do país.

Somente na última década, 59% do crescimento populacional foi garantido pela chegada de estrangeiros, afirma o texto. E nos últimos 40 anos, fatores populacionais (com ênfase na imigração) contribuíram com 18% do crescimento anual médio de 1,7% na renda per capita do australiano.

Atualmente, a população é integrada por imigrantes de aproximadamente 300 diferentes origens, o que indica uma diversidade cultural (com a prática de pelo menos 100 religiões) e linguística (cerca de 300 línguas faladas no país).

As capitais de estados concentram 83% da população estrangeira nacional. No caso de Sydney, Perth e Melbourne, 40% da população nasceram em outro país.

Imigração qualificada

Com cerca de 25 milhões de habitantes em uma área territorial semelhante à brasileira, o aumento da ocupação é usado como impulso para a economia. O texto destaca especificamente a importância do programa de imigração para trabalhadores qualificados no aumento de recursos e capital humano no país.

“Um dos aspectos ressaltados neste relatório é que muitos imigrantes chegam primeiro na Austrália com objetivos de curto prazo e só depois solicitam o visto de residência permanente, o que também ocorre com latino-americanos em geral”.

Para ele, as oportunidades diversas de imigração continuam pouco exploradas pelos interessados. “Há caminhos diferentes e inclusive mais econômicos para aqueles que pretendem fixar residência na Austrália”, recomenda. A pesquisa agora divulgada pelo governo reforça que, entre esses caminhos, tende-se a abrir oportunidades para imigrantes qualificados em certas profissões e em idade para ingressar na força de trabalho e também para negócios. O relatório confirma que os residentes estrangeiros reforçam o equilíbrio fiscal do país, já que pagam mais impostos do que demandam serviços sociais públicos.

Distribuição regional

A atual ocupação regional australiana também é moldada pelo movimento de imigrantes. Determinadas áreas crescem em função da chegada de imigrantes. Um dos exemplos é a Tasmânia que, de acordo com o relatório, aumentou sua população quase que exclusivamente por estrangeiros entre 1996 e 2016. “Migrantes transformaram a sociedade australiana”, diz o texto do relatório.

A compreensão das características de regiões e das mudanças populacionais ao longo de muitos anos é um elemento essencial para estrangeiros que estão programando fixar residência na Austrália. “As regras imigratórias refletem tendências indicadas em estudos do governo e de outras fontes. A experiência nos permite compreender profundamente esse contexto para identificar oportunidades em cada região”.

Temporários e permanentes

Desde 2012, o governo mantém a cota de entrada de até 190 mil imigrantes por ano em seu Programa de Migração Permanente. Há 20 anos, os profissionais qualificados (em profissões sob demanda na Austrália) representavam até 40% dos vistos emitidos no Programa. Hoje o percentual é de 70%.

Residentes temporários que queiram permanecer na Austrália e também aqueles imigrantes que já querem chegar no país com um visto permanente em mãos são aconselhados a consultar um agente de imigração para planejar esse processo.

MAFonte: Noticias Dino

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar nos Jornais de Grande Circulação do Rio de Janeiro como por exemplo O Globo, Extra e Expresso.

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar  no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro.

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar  no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro.

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar no Diário Oficial do Estado de São Paulo.