Escolas buscam assessorias e serviços de gestão financeira para melhorar desempenho e reduzir inadimplência

Assim como em outros segmentos, instituições de ensino recorrem a tecnologia para pôr fim ao trabalho manual de emissão de cobrança e de controle financeiro escolar

Em uma pesquisa publicada em 2015, Nick Bloom (Universidade de Stanford) e coautores coletaram dados de 1.800 escolas de ensino médio em oito diferentes países, incluindo o Brasil. Eles entrevistaram os diretores das escolas e construíram medidas de gestão em quatro áreas: operações, monitoramento, metas e pessoal. Enquanto as escolas do Reino Unido, Suécia e Canadá apresentam os melhores índices, as escolas do Brasil e da Índia apresentam os piores índices de gestão. Ao cruzar essas informações com medidas de desempenho escolar (resultados do Enem e Prova Brasil para o caso brasileiro), eles mostram que níveis mais altos de gestão escolar estão associados com melhor desempenho dos alunos em provas padronizadas.

‘Mamãe e papai, favor enviar o cheque deste mês na agenda’

Dessa forma, muitas escolas vivenciam esta realidade: cheques enviados nas agendas dos alunos e depois levados pessoalmente ao banco, emissão de nota por nota no portal da Prefeitura, além dos cadastros e controles financeiros realizados manualmente por um membro da equipe escolar ou mesmo pela própria diretoria.

“Quem sofre mais são os pequenos e médios empresários, pois tarefas operacionais tiram o tempo e o foco do que realmente importa, que é a coordenação pedagógica da escola, seja dele próprio ou de um funcionário que poderia ser mais útil em sua área de conhecimento”, destaca Barroso.

De acordo com o especialista, nesse caso, entram as assessorias especializadas, com tecnologias e sistemas operacionais para serem implementados na estruturação de contas a receber, emissão das notas fiscais, controle dos recebimentos, análise do desempenho dos negócios e projeção dos fluxos de caixa para subsidiar decisões da diretoria, em um processo automatizado e eletrônico das rotinas gerenciais e financeiras da instituição. “Além de evitar riscos e prevenir erros, isso colabora para uma imagem de seriedade e de organização da escola”, pontua.

Redução da inadimplência escolar

Ele também destaca que a atuação de uma gestão financeira escolar contribui para reduzir uma das grandes dificuldades que as escolas enfrentam em sua administração financeira: os altos níveis de inadimplência. “A inadimplência em escolas é muitas vezes causada por motivos fáceis de serem eliminados, como o não recebimento da fatura de cobrança pelos pais – a tempo de ser paga corretamente no banco, ou a falta de um controle efetivo dos recebimentos. Um serviço de cobrança automatizado é capaz de gerar ações assertivas sobre tais pendências, entre outros processos, de forma a reduzir consideravelmente esse índice”.

“Um exemplo: a diretoria pode estabelecer que os pais recebam os boletos no e-mail e no celular (SMS e/ou WhatsApp) com dias de antecedência ao pagamento da mensalidade, aparecendo também no sistema do banco que eles utilizam. Após a confirmação do pagamento pelo sistema, a nota fiscal pode ser enviada automaticamente para os pais, e a escola recebe o relatório com os status dos pagamentos. Ou seja, um processo simples, mas que não acontece em grande parte das instituições”, completa.

O especialista explica ainda que a estruturação de um sistema de gestão admite opções como pagamento por cartão de crédito, podendo inclusive ser colocado em débito automático, e todo o tipo de inovação em meios de pagamento que venha a trazer benefícios para os pais e para a escola.

“A tecnologia é muito rápida e elimina diversos desses gargalos. Hoje, não é mais necessário atualizar o boleto vencido para realizar o pagamento, bem como a escola pode emiti-los com ou sem cobrança de juros e multa nas mensalidades atrasadas, ou mesmo estabelecer automaticamente descontos para pagamentos antecipados. Cabe aos empresários detectar quais formatos mais atendem e agradam seu público, buscando as soluções que tornam seu processo de gestão mais dinâmico e confortável”, salienta Barroso.

MAFonte: Noticias Dino

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar nos Jornais de Grande Circulação do Rio de Janeiro como por exemplo O Globo, Extra e Expresso.

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar  no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro.

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar  no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro.

Clique aqui caso tenha interesse e necessidade de publicar no Diário Oficial do Estado de São Paulo.